sábado, 2 de novembro de 2013

Creio na comunhão do Santos



Recordar é viver. Hoje é dia de trazer à mente aquelas pessoas que nunca saíram do nosso coração. Não são apenas nomes que escrevemos nas intenções da Santa Missa, neste dia todo dedicado aos falecidos: são memórias, recordações, emoções, lembranças, fatos e, acima de tudo, rostos daquele que nos foram caros, e sem os quais nossa vida não teria sido a mesma. É dia de visitar nossa galeria pessoal, tantos semblantes de pessoas que fizeram a história de nossa vida e que, mesmo ausentes, nunca deixaram de ser presença junto a nós. Aliás, esta é a grande definição da palavra saudade: a presença do ausente.
À medida que lemos estas linha podemos trazer à mente tanta pessoas, recordar encontros alegres, momentos felizes, fatos marcantes ou, simplesmente, o cotidiano da vivência comum com aqueles que faziam do dia a dia um momento especial em nossa vida!
Hoje não há esquecidos porque a igreja, a Grande família dos filhos de Deus, nos faz recordar como uma amorosa mãe todos os seus filhos, nossos antepassados que já transpuseram os umbrais da eternidade.
A Igreja reza hoje pelas almas dos fiéis que se encontram no purgatório. Mas, o que é afinal de contas o purgatório?Quando lemos na escritura acerca da vida eterna, a imagem que a palavra de Deus nos dá é de uma festa, um convívio de profunda e eterna alegria com o Pai onde Ele, o Senhor, fazendo-nos assentar à mesa, vai cingir-Se e, passando pelo meio de nós, vai servir-nos com o que há de melhor neste banquete.
Ora, imaginemos um jovem apaixonado que, depois de um dia intenso de trabalho, vai se encontrar com sua amada. Certamente não o fará sem antes tomar um bom banho, perfumar-se e vestir a melhor roupa que estiver a seu alcance. Também nós nos preparamos para o encontro com Aquele que é a alegria de nossa alma e para isso, há que purificar a veste batismal tantas vezes manchada pelo egoísmo e pelo mal do qual não conseguimos nos purificar inteiramente em nossa vida.
Sabemos que o nosso único Salvador é Cristo, mas, como dizia Santo Agostinho, ”Deus que te criou sem ti, não pode te salvar sem ti”. É por isso que hoje se faz tão importante rezar por aqueles que se foram e que amamos. Isto é belo, salutar, santo, digno e justo.

1 comentários:

Josué Amorim disse...

Oi Rosane tudo bem? Olha o meu nome é Josué Amorim, queria lhe agradecer por você ter visitado o meu blog e lhe dizer que também gostei muito do seu e já estou seguindo, continue nos visitando e deixando seu cometário. Muito obrigado um forte abraço e que Deus te abençoe.

Postar um comentário